Pular para o conteúdo principal

ALEIJADINHO : A VIA-SACRA DO SANTUÁRIO DO BOM JESUS DE MATOZINHOS,CONGONHAS-MINAS GERAIS


Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (201)
O tema é sobre a Via-Sacra e suas capelas que compõem o complexo religioso do Santuário, verdadeiras obras-prima do artista Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho, que hoje é classificado Patrimônio Mundial pela UNESCO.
Vamos conhecer melhor as capelas e suas esculturas com os textos extraídos da enciclopédia livre Wikipedia (histórico) e do Guia Bravo! de Cultura das Cidades Históricas de Minas Gerais (texto das fotos):
 Via-Sacra ou Via-Crucis do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Congonhas do Campo – Minas Gerais – Brasil
(fotografias de/photos by Rogério P.D. Luz)
A primeira igreja do novo Matosinhos de Minas Gerais foi construída em 1773, com a construção, anos após, entre 1780 e 1793 da Via Crúcis do sopé do morro até o santuário. Em 26 de julho de 1957, o Papa Pio XII, reconhecendo a importância histórica, artística e religiosa do conjunto, elevou a igreja principal à dignidade de Basílica Menor. A via-sacra é composta por uma série de capelas de planta quadrada, paredes caiadas e teto de quatro águas que abrigam cenas da Paixão de Cristo representadas mediante conjuntos esculturais esculpidos em cedro brasileiro e policromias, seguindo a estética sentimental e rebuscada do rococó.
O sacro caminho desenrola-se em ziguezague, subindo por uma ladeira simbólica na qual organizavam-se procissões de penitência para expiar as culpas da sociedade opulenta do final do século XVIII neste importante centro minerário do Novo Mundo
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (207)
A capela da esquerda é a mais antiga e bem acabada, e abriga a cena da Última Ceia. Na capela da direita, está a cena do Passo do Horto.
A Via Crucis, nas capelas
Desde 1796 o Aleijadinho encarregara-se de fazer 66 estátuas de tamanho natural, em cedro, para a Via Crucis das seis capelinhas votivas, trabalho findo em 1799. Mas a construção das capelas demorou: a primeira ficou pronta apenas em 1808. As figuras se inspiram no conjunto do Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, Portugal. A pintura das estátuas foi encarregada a Francisco Xavier Carneiro e Manuel da Costa Ataíde, o grande pintor mineiro do século XVIII.
As cenas da Via Crucis são feitas em cedro: no sopé da rampa, a A última ceia tem imagens inteiramente esculpidas pelo Aleijadinho, pintadas por Ataíde. O Cristo, de beleza serena, é semelhante aos profetas, com rosto estreito, ossos salientes, cabelo abundante, barba em sulcos apertados, mas a roupa adere mais ao corpo.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (210)
Jesus no Horto ou no Jardim das Oliveiras mostra uma figura formosa, o belo Cristo ajoelhado, de olhos orientais e persuasivos, o Anjo da Paixão (como seu companheiro da abside da igreja de São Francisco) pertence à tradição portuguesa, de olhos muito abertos, modo de estar cravado no solo, para criar o efeito que flutua no ar, cobre o fundo da cena com imensas asas abertas; o panejamento é característico do Aleijadinho, anguloso como lata amassada; há três apóstolos adormecidos, Tiago, Pedro e João. Trata-se de uma autêntica obra prima – apenas estes dois passos foram inteiramente feitos pelo Aleijadinho.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (209)
Passo da Prisão: Aleijadinho esculpiu apenas Jesus e o apóstolo Pedro. Seus auxiliares esculpiram as demais esculturas.
A prisão do Cristo tem oito figuras, Cristo, Pedro, Malco, servo do Sumo Pontifice de Jerusalém, Judas e quatro soldados. É um notável estudo da expressão dos personagens: violência encarnada por Pedro que se opõe: a ira do pescador de homens contra a mansidão do Cristo, que cura a ferida do soldado, voltando a prender no lugar a orelha cortada por Pedro.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (203)
Passos da Flagelação e da Coroação dos Espinhos: Aleijadinho apenas esculpiu as imagens de Cristo nesta capela que abriga as duas cenas de açoitamento de Cristo e recebendo a coroa de espinhos. Seus auxiliares esculpiram as demais imagens.
A flagelação e coroação de espinhos mostra dois grupos numa capelinhas, os centuriões caricaturais, guardando lembrança da Idade Média, contraste com o Cristo apolíneo. Raro exemplo de nu na escultura do século XVIII. Os dois Cristos são do mestre Aleijadinho. Notáveis os braços, veias salientes e marcadas, no rosto o abandono, vigor especial ao sofrimento na estrutura fisico de atleta. Rostos sempre delgados, deixando adivinhar os ossos sob a pele.
Na coroação de Espinhos as pernas de Jesus novamente expostas, pateticamente, coroado de espinhos, de nobreza assombrosa, o irrisório cetro oferecido pelos soldados.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (214)
Passo da Subida ao Calvário: uma obra-prima do Aleijadinho, o “Cristo da Cruz-às-Costas. Observem a dramaticidade do rosto de Cristo com expressão de dor.
Jesus carregando a Cruz às costas – tropeça, observado pelas Santas Mulheres ou filhas de Jerusalém, uma com rosto que parece o Anjo da Paixão. Trajes recordando as figuras de presépios de barro dos fins do século XVIII. Maravilhosa figura do Cristo, expressão horrorizada do rosto, dedos tensos, pernas sangrentas, rosto do soldado ao fundo é a caricatura do rosto do Cristo, sempre na tradição portuguesa. Feitos pelo Aleijadinho o Cristo e a mulher que enxuga as lágrimas com o lenço.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (216)
Passo da Crucificação: Apenas as imagens de Cristo e do mau ladrão são atribuídas a Aleijadinho. Pode ser que tenha contribuído nas esculturas de Maria de Madalena e do centurião.
A crucifixão mostra a grande vítima em holocausto. Faltaria o brio das outras? As figuras separadamente sim, o conjunto não. Nas cabeças do Cristo, o Aleijadinho é sempre um escultor do século XVIII: cabelos simplesmente divididos, lábios delicados, entreabertos, superfície terna da carne, são todos de sua mão – embora discípulos devam ter esculpido outras figuras.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (202)
Nesta capela está a obra-prima de Aleijadinho da cena de “Cristo da Cruz-às-Costas”, o Passo da Subida ao Calvário.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (204)
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (206)
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (217)
Passo da Ceia: As imagens da Última Ceia encontram-se na capela mais antiga e bem acabada do Santuário. O crédito das 14 esculturas é do Aleijadinho.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (208)
A capela da cena de Passos da Flagelação e da Coroação de Espinhos
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (212)
Passo do Horto: Retrata Jesus no Jardim de Oliveiras, com o anjo (vide foto seguinte) oferecendo uma taça de fel. Acredita-se que as esculturas sejam do Aleijadinho.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (213)
Passo do Horto: (vide o texto na foto anterior) Nesta foto pode-se ver o anjo oferecendo uma taça de fel a Jesus.
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (215)
Passo da Subida ao Calvário noutro ângulo (veja o texto noutra foto)
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (211)
Congonhas Via Sacra Santuario Bom Jesus Matosinhos (205)
Na capela da esquerda, a cena do Passo da Crucifiação e da direita, o Passo da Subida ao Calvário


Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, Minas Gerais, Brasil

Santuário do Bom Jesus do Matosinhos
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Na nossa viagem a Ouro Preto, em Agosto de 2012, contratamos um tour de um dia para conhecer outras três cidades históricas de Minas Gerais e Congonhas foi a primeira pois ficava mais próxima, a menos de 50 km. Depois rodando mais de 160 kms seguimos para São João Del Rey e Tiradentes.  O tempo foi apertado para tamanha distância e quantidade de visitas, não sendo recomendável.
Em Congonhas, também chamada de Congonhas do Campo, a principal atração turística é o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, mandado construir em 1773.  Tem como destaque as obras do Aleijadinho em esculturas em pedra sabão de 12 Profetas e a Via Crucis composta por seis capelinhas com 66 imagens representando a Paixão de Cristo. Estas obras do Aleijadinho, importante escultor, entalhador e arquiteto do Brasil falecido em 1814, serão objeto de outra postagem.
Não é coincidência certa inspiração ou semelhança com o Santuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, Portugal, pois como promessa para cura da sua doença grave, o português Feliciano Mendes, natural dessa cidade, mandou construí-la inspirada na igreja da sua terra.  Em 1985, foi reconhecido como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Vejamos então o que a Wikipedia tem a contar da sua história e outros detalhes:
Patrimonio Mundial da Unesco Santuario Bom Jesus.Matosinho
(fonte: Wikipedia com montagem da foto deste autor)
(fotografias de/photos by Rogério P.D. Luz)
Estátuas de 12 Profetas esculpidas por Aleijadinho e seus auxiliares
Esculturas de 12 Profetas feitas por Aleijadinho e parcialmente por seus auxiliares
SANTUÁRIO DO BOM JESUS DE MATOSINHOS – MINAS GERAIS – BRASIL
O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos é um conjunto arquitetônico e paisagístico formado por uma basílica, um adro com esculturas de Doze Profetas feitas por Aleijadinho e seis capelas com cenas da Paixão de Cristo. O santuário está localizado no morro do Maranhão, no município brasileiro de Congonhas, Estado de Minas Gerais.
O conjunto foi construído em várias etapas, nos séculos XVIII e XIX, por vários mestres, artesãos e pintores, como Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Manuel da Costa Ataíde.
Tombado pelo SPHAN, atual IPHAN, em 1939, como patrimônio histórico nacional, foi considerado Patrimônio Mundial pela Unesco em 1985.
A fundação do santuário é atribuída ao português Feliciano Mendes que, tendo adoecido gravemente, prometeu construir um templo a Bom Jesus de Matosinhos, como o que havia em Braga, sua terra natal, caso alcançasse a cura.
A primeira igreja do novo Matosinhos de Minas Gerais foi construída em 1773, com a construção, anos após, entre 1780 e 1793 da Via Crúcis do sopé do morro até o santuário. Em 26 de julho de 1957, o Papa Pio XII, reconhecendo a importância histórica, artística e religiosa do conjunto, elevou a igreja principal à dignidade de Basílica Menor. A via-sacra é composta por uma série de capelas de planta quadrada, paredes caiadas e teto de quatro águas que abrigam cenas da Paixão de Cristo representadas mediante conjuntos esculturais esculpidos em cedro brasileiro e policromias, seguindo a estética sentimental e rebuscada do rococó.
O sacro caminho desenrola-se em ziguezague, subindo por uma ladeira simbólica na qual organizavam-se procissões de penitência para expiar as culpas da sociedade opulenta do final do século XVIII neste importante centro minerário do Novo Mundo.
Seis capelinhas com 66 imagens representando a Paixão de Cristo construídas lateralmente ao caminho que conduz à basílica
Seis capelinhas com 66 imagens representando a Paixão de Cristo construídas lateralmente ao caminho que conduz à basílica
Via Crucis, nas capelas - Desde 1796 o Aleijadinho encarregara-se de fazer 66 estátuas de tamanho natural, em cedro, para a Via Crucis das seis capelinhas votivas, trabalho findo em 1799. Mas a construção das capelas demorou: a primeira ficou pronta apenas em 1808. As figuras se inspiram no conjunto doSantuário do Bom Jesus do Monte, em Braga, Portugal. A pintura das estátuas foi encarregada a Francisco Xavier Carneiro e Manuel da Costa Ataíde, o grande pintor mineiro do século XVIII.
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (14)
Uma das seis capelinhas
Na cena abaixo: Jesus carregando a Cruz às costas - tropeça, observado pelas Santas Mulheres ou filhas de Jerusalém, uma com rosto que parece o Anjo da Paixão. Trajes recordando as figuras de presépios de barro dos fins do século XVIII. Maravilhosa figura do Cristo, expressão horrorizada do rosto, dedos tensos, pernas sangrentas, rosto do soldado ao fundo é a caricatura do rosto do Cristo, sempre na tradição portuguesa. Feitos pelo Aleijadinho: o Cristo e a mulher que enxuga as lágrimas com o lenço.
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (13)Os Doze Profetas é um conjunto de esculturas em pedra sabão feitas entre 1795 a 1805 pelo artista Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho, localizadas no município de Congonhas do Campo, mais precisamente no adro do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos.
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (21)
Profeta Oséias
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (11)
Profeta Jonas
Profeta Habacuque
Profeta Habacuque
Tal como a maior parte das igrejas das Cidades Históricas de Minas Gerais, é proibido fotografar e filmar o seu interior no horário de visitas.  Uma pena, pois se não usar flash penso que não haveria nenhum problema, embora haja também uma alegação por questão de segurança, já que tem acontecido furto de imagens sacras que seriam vendidas no mercado negro de colecionadores ou para exportação.  Em Congonhas não foi diferente, mas fotografar do lado de fora, através uma porta, não havia restrição (?). Vejamos:
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (16)
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (15)
Na lateral da basílica há uma Sala de Promessas com exposição de parte do material deixado pelos fiés
Na lateral da basílica há uma Sala de Promessas com exposição de parte do material deixado pelos fiés
Congonhas Santuario Bom Jesus Matosinhos vista geral (07)
.
vita parcial da cidade de Congonhas, Minas Gerais
vita parcial da cidade de Congonhas, Minas Gerais
*(clicar nas fotos para aumentar)
  



Fonte:http://cronicasmacaenses.com/category/brasil/minas-gerais/cidades-historicas-minas-gerais/congonhas/santuario-bom-jesus-do-matosinhos/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ARTE BARROCA E SUAS CARACTERÍSTICAS

BARROCO
A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII) mas não tardou a irradiar-se por outros países da Europa e a chegar também ao continente americano, trazida pelos colonizadores portugueses e espanhóis. As obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência, que os artistas renascentistas procuram realizar de forma muito consciente; na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista. É uma época de conflitos espirituais e religiosos. O estilo barroco traduz a tentativa angustiante de conciliar forças antagônicas: bem e mal; Deus e Diabo; céu e terra; pureza e pecado; alegria e tristeza; paganismo e cristianismo; espírito e matéria. 



Suas características gerais são:

• emocional sobre o racional; seu propósito é impressionar os sentidos do observador, baseando-se no princípio segundo o qual a fé deveria ser atingida através dos sentidos e da emoção e não apenas pelo raciocínio. 
• busca de efeitos decorativos e v…

AS PRINCIPAIS OBRAS DE ALEIJADINHO

Antônio Francisco Lisboa, nosso querido Aleijadinho, nasceu por volta de 1730 em Ouro preto. Sua trajetória é praticamente construída pelas obras que deixou como  escultor, entalhador e arquiteto, pois os principais documentos sobre sua vida só foram escritos por volta de 40 anos depois de sua morte.








Toda sua obra, entre talha, projetos arquitetônicos, relevos e estatuária, foi realizada em Minas Gerais, especialmente nas cidades de Ouro Preto,Sabará, São João del-Rei e Congonhas. Os principais monumentos que contém suas obras são a Igreja de São Francisco de Assis de Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos.  Separamos algumas de suas principais obras, vejam: (Fonte das fotos – Wikipedia)
Retábulo da capela-mor da Igreja de São Francisco em São João del-Rei Projeto para a fachada da Igreja de São Francisco em São João del-Rei Cena do carregamento da cruz, na Via Sacra de Congonhas Detalhe do Cristo carregando a Cruz, naVia Sacra de Congonhas Relevo no pórtico da Igreja de São Franc…